quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Poesia caótica

Quinta-feira chuvosa no bairro
Ainda que eu escute música
E acenda luzes pra ver tevê
Nada acontece na vida
O mundo foge do normal
Onde aprendo ser anormal
Deixo o coração no telhado
Onde o gato cheira o caminho
Pra melhor trilhar o sofrimento
E deixar qualquer incauto inalar
O aprendizado da sobrevivência...

(Alex Contente)

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Ave, poesia!

Na poesia colocamos em prática aquilo que a alma extravasa no corpo, aquilo que já não suporta mais. Seja em prazer. Seja em dor. Uns, com o poder mais refinado; outros, com poderes mais brutos; uns, mais mares; outros, menos rios; uns, mais líquidos; outros, mais sólidos; e há outros mais gasosos; assim como há também outros mais fumaça do que fogo. Há àqueles que morrem sem poesia, assim como os que morrem por ela.

O poeta é mesmo um fingidor - declarava o poeta português Fernando Pessoa - e assim como muitos já tiveram contato com outras poesias, o próprio também já tivera um dia contato com obras de outros poetas inspiradores. A poesia existe na alma justamente para aliviar, presta por ser imprestável, seduz na arte. O poeta precisa às vezes fingir a alma de prazer para que a essência que se preze tenha o rabo copiado. Quiçá adorado.

(Alex Contente)

domingo, 28 de outubro de 2018

ELEIÇÃO

Dirijo e vejo muito RADR a rondar; meto a mão no BOLSO e... NADA. Resultado: continuo não votando!

(Alex Contente)

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

THE SUN

Os dias voam
As horas correm
Os sonhos decolam
E a saudade flutua
Dentro da alma
Assim como o Sol
Que arde e aquece
alumiando o coração...

(Alex Contente)

BELÉM, 403 ANOS!!!!!

E AINDA SORRIA, MESMO ASSALTADA TODO SANTO DIA (Alex Contente)